Informação de crédito ao consumo

Aderir a um crédito é um ato de compromisso, que requer uma decisão consciente.

A Cofidis defende o crédito responsável e coloca ao seu dispor informação útil sobre crédito ao consumo.

Perceba as diferenças entre Linha de Crédito, Crédito Pessoal ou Crédito Consolidado. Descubra o que é a TAEG, a TAN, o MTIC e quais os impostos associados ao seu tipo de crédito. Esclareça todas as suas dúvidas e saiba mais sobre o seu crédito Cofidis!

Uma Linha de Crédito é um contrato de crédito revolving, de duração indeterminada. Isto significa que tem um limite máximo de crédito autorizado que pode utilizar ao longo do tempo, à medida que for pagando as prestações mensais e reembolsando o capital do seu crédito (à semelhança de um cartão de crédito). Isto quer dizer que sempre que quiser utilizar o montante disponível (ou seja, o montante que já pagou) poderá fazê-lo sem ter que fazer um novo pedido de crédito. Por este motivo, o prazo para reembolso do seu crédito é meramente indicativo pois dependerá das utilizações que faça.

A Cofidis disponibiliza Linhas de Crédito Mini e Maxi. Na Mini poderá pedir um valor entre os 500€ e os 2.250€, na Maxi os valores variam entre 2.500€ a 4.500€.

Um Crédito Pessoal é um empréstimo destinado a satisfazer necessidades de crédito a médio prazo, dirigido à aquisição de bens ou serviços de consumo duradouro. No Crédito Pessoal o montante do crédito, as mensalidades e os prazos de reembolso são fixados no início do contrato, mantendo-se inalterados durante a vigência do mesmo.

O montante do crédito pessoal Cofidis pode variar entre os 5.000€ e os 50.000€.

O Crédito Consolidado permite juntar vários créditos ao consumo num só.

Significa que se tem vários créditos ao consumo em várias instituições, financeiras ou bancárias, vai passar a gerir o seu crédito com uma única instituição financeira. Assim, passa a pagar uma única mensalidade, com uma única taxa e uma única data de pagamento, simplificando a sua gestão financeira.

É a Taxa Anual de Encargos Efetiva Global (TAEG), isto é, a taxa que reflete o custo total do Crédito. É expressa numa percentagem anual do montante total do crédito. A TAEG considera todos os:

• Encargos relacionados com a operação de crédito, como comissões e despesas de expediente;

• Impostos relacionados com o crédito, como por exemplo imposto do selo sobre juros.

É a Taxa Anual Nominal (TAN), isto é, a taxa de juro expressa numa percentagem fixa aplicada numa base anual ao montante do crédito utilizado, à qual são calculados os juros do crédito, sem incluir outros encargos ou impostos.

É o Montante Total Imputado ao Consumidor (MTIC).

Nos produtos do tipo Crédito Pessoal e no Crédito Consolidado, o MTIC corresponde ao valor total que vai pagar pelo crédito, ou seja, a soma do custo total do crédito (juros, comissões, despesas, impostos e encargos de qualquer natureza, exceto os prémios de seguro de adesão facultativa) e do montante total do crédito concedido.

MTIC = Valor crédito concedido + Valor total dos custos

É a Ficha de Informação Normalizada (FIN).É um documento padronizado pelo Banco de Portugal, para todas as instituições financeiras e bancárias, onde consta a informação detalhada relativa ao crédito e que permite comparar, de uma forma mais simples, diferentes ofertas de crédito.

Consoante o tipo de crédito os impostos variam, assim:

Crédito clássico: os impostos associados aos créditos clássicos (contratos de crédito com prazo de duração determinada) e incluídos na TAEG, são o Imposto do Selo sobre a Utilização do Crédito (ISUC) e o Imposto do Selo sobre juros, ambos às taxas legais em vigor previstas na Tabela Geral do Impostos do Selo. O ISUC acresce ao valor da primeira mensalidade do crédito e o Imposto do Selo sobre juros é cobrado mensalmente e está incluído no valor da mensalidade do crédito.

O valor concreto dos impostos estão inscritos na FIN e nas Condições Particulares do contrato de crédito.

Crédito Revolving: os impostos associados ao crédito revolving (contratos de crédito com prazo de duração indeterminada) e incluídos na TAEG são o Imposto do Selo sobre Contas Correntes (ISCC) e o imposto do Selo sobre juros, ambos às taxas legais em vigor previstas na Tabela Geral do Imposto do Selo. O ISCC e o Imposto do Selo sobre juros, são cobrados mensalmente, estando os seus valores já incluídos na mensalidade do crédito.

Caso existam comissões associadas ao contrato de crédito, a estas acresce o respetivo Imposto do Selo à taxa legal em vigor.

A nossa atividade é regulamentada e supervisionada pelo Banco de Portugal, pelo que os nossos processos são rigorosos e respeitam os procedimentos legais.